Aqui você encontrará notícias, dicas de sites, cursos, músicas, eventos e atividades que estejam ligadas a projetos de Jornal e Educação e Jovens Leitores.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Criação de um jornal comunitário ou escolar

A ong Bem TV, de Niterói (RJ), capacita educadores para trabalharem com a interface comunicação e educação. Um dos projetos que podem ser trabalhados é o jornal comunitário ou escolar. Veja as dicas da Bem TV para a criação de um jornal e o que é precisop pensar antes de editar um periódico.

1. Qual o público-alvo?
Adolescentes, jovens, adultos, líderes comunitários, estudantes, professores, gestores? A comunidade e/ou a escola de um modo geral ou apenas um grupo dentre dela(s)?

2. Qual o objetivo da publicação? O que se deseja conseguir com ela? Entreter, educar, politizar, conscientizar os leitores ou registrar o que acontece na comunidade, para que ela "se veja"?
É melhor ter um objetivo definido do que vários objetivos, já que, em geral, uma publicação comunitária ou escolar é pequena e não é dividida em cadernos como um jornal comum.

3. Qual a periodicidade? Semanal, quinzenal, mensal, bimestral?
Tem-se que pensar na disponibilidade de tempo do grupo que irá produzir o jornal e no conteúdo. Pode ser que não haja matéria suficiente para uma publicação semanal, por exemplo.
Essa periodicidade deve ser seguida à risca, para conquistar os leitores.

4. Qual o número de páginas?
De acordo com a demanda da comunidade e a disponibilidade do grupo e à medida que o jornal for conquistando público, o número de páginas pode ser aumentado.

5. Tiragem (número de exemplares)?
Se for uma tiragem pequena (200, 300 exemplares), pode-se pedir apoio da prefeitura, da direção da escola ou de alguma empresa e xerocar tudo. Mas se for uma grande tiragem (700, 1000 exemplares) é melhor conseguir dinheiro de uma ou mais empresas e lojas e imprimir na gráfica, que sai mais barato. É melhor começar com uma tiragem baixa e ir aumentando o numero de exemplares impressos à medida que for conquistando leitores.
Para conseguir patrocínio, é necessário pensar em lojas e empresas perto da comunidade ou da escola ou que tenham interesse em atrair a comunidade.
Outra opção é fazer festas e rifas para arrecadas recursos.

6. Formato (tamanho do papel - A4, A3, que é o dobro do A4, A5, que é a metade do A4 -, se será dobrado ou não)?

7. Linguagem.
Qual a linguagem que mais atrai o público-alvo e é capaz de transmitir o conteúdo que se quer passar? Coloquial, formal, mais divertida ou mais séria? Com mais texto ou com mais ilustrações?

8. Diagramação.
Como diagramar um jornal de modo atraente? Uma dica é pegar vários modelos de jornais, revistas e zines e ver o que agrada mais.

9. Equipe.
As tarefas serão divididas ou todo mundo fará tudo? Em geral, numa publicação temos as seguintes funções: editor, pauteiro, repórter, redator, fotógrafo, ilustrador, diagramador, revisor, captador de recursos. Pode ser útil selecionar algumas pessoas para cumprir algumas funções, como diagramação e captação de recursos, enquanto outras tarefas são exercidas por todos (seleção de pautas, reportagem, redação, fotografia).

10. Onde será distribuído o jornal? Associação de moradores, bares, lojas, bancas, salas de aula, etc.?

11. De que forma podemos saber a opinião das pessoas sobre o jornal e se ele está sendo lido? (Pesquisa de opinião feita oralmente, pesquisa feita através de formulário entregue junto com o jornal, caixas colocadas nos locais de distribuição para recebimento de críticas e elogios, etc.)
É bom que o jornal tenha um endereço, um telefone, um e-mail que possa dar como referência e que coloque caixas nos locais de distribuição, para que os leitores possam se comunicar com os realizadores.

Um comentário: